fbpx

Sidebar

09
Ter, Ago

USP lança curso de educomunicação

Notícias EAD

Licenciatura oferecida pela ECA a partir de 2011 une as áreas de comunicação e pedagogia Mal aconteceu a primeira fase da Fuvest deste ano e já começam a aparecer novidades para o ano que vem.

Folha de S. Paulo

A ECA (Escola de Comunicação e Artes), da USP, vai oferecer, para 2011, 30 vagas noturnas para o curso inédito de educomunicação, com quatro anos de duração. A nomenclatura é nova, mas ela já dá uma dica do que se trata: um curso que mescla conceitos teóricos de comunicação e de educação e que põe a pedagogia e a tecnologia para agirem juntas, em busca de um melhor aprendizado. De acordo com Ismar Soares, professor da ECA e um dos idealizadores do curso, a educomunicação é um fenômeno que já vem acontecendo e que, depois de 15 anos de discussões, receberá uma graduação. Segundo Soares, essas duas áreas -comunicação e educação- sempre foram muito estudadas separadamente, e o diálogo entre elas nunca foi dos melhores. "No campo da comunicação, a educação não tinha muito espaço. No campo da educação, a comunicação era vista com desconfiança", diz. A educomunicação é uma tentativa de fazer isso mudar. Demanda da sociedade para isso, afirma o professor, já há. Tanto que as lacunas deixadas pela falta de um profissional com formação específica são ocupadas por pessoas da comunicação social e da pedagogia.

Os futuros licenciados em educomunicação poderão trabalhar em escolas e ONGs e nas secretarias de Educação, atuando na capacitação de professores e ajudando a direção das instituições de ensino a gerenciar a educação integrada à tecnologia. Para que o curso fosse possível, a ECA buscou parcerias com a Feusp (Faculdade de Educação) e com o Museu de Arte Contemporânea. A próxima instituição na mira dos educomunicadores é a Poli. "Lá tem gente estudando tecnologia e comunicação. Vamos precisar do apoio deles, por exemplo, para tratarmos da educação a distância", diz Soares.

O currículo da educomunicação foi estruturado de forma a comportar, nos primeiros anos, um espaço para as discussões envolvendo as teorias da comunicação e as filosofias da educação. Na sequência, o aluno deverá ser capaz de levar a fundamentação teórica para fora da sala de aula e planejar projetos educomunicativos. Por enquanto não será preciso contratar mais professores, porque já há 19 docentes envolvidos com a graduação.

Em 2010, Soares diz que a ECA organizará seminários ao longo do ano para receber vestibulandos interessados no curso, coordenadores de pré-vestibulares e a imprensa, não só para divulgar a educomunicação mas também para, segundo o professor, "criar espaços de debate aberto".

Fonte:http://saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=206174&c=559&q=USP+lan%E7a+curso+de+educomunica%E7%E3o