fbpx

Sidebar

15
Sáb, Maio

Crianças criam campanha online na escola para doar alimentos

Notícias EAD

Professora usa a iniciativa para trabalhar conceitos de matemática, mas também desenvolver a empatia e solidariedade

Professora usa a iniciativa para trabalhar conceitos de matemática, mas também desenvolver a empatia e solidariedade

Fernanda Maurer realizou uma campanha para doação de máscaras com a intenção de ajudar aqueles que não tinham condições de comprar. A campanha online serviu de inspiração para a tutora trabalhar conceitos de matemática, mas também falar sobre empatia e realizar uma grande ação de doação de alimentos.

Durante a pandemia, os alunos da educação básica do colégio Lumiar, em Pinheiros, crianças de 5 anos a 8 anos, foram desafiados a criar uma campanha online para arrecadar alimentos para doação. "As crianças já demonstravam interesse em ajudar que precisa nesse período de pandemia, um aluno havia sugerido fazer cookies para arrecadar dinheiro, e como havia essa preocupação entre eles, resolvemos elaborar a campanha", explica Fernanda.

O primeiro passo foi explicar para as crianças o que é uma cesta básica. "Fizemos uma pesquisa de alimentos e preços, como poderíamos escolher a melhor opção, com mais produtos e que ao mesmo tempo que chegasse a um número maior de famílias", lembra.

Depois foi escolher para quem doar. "Por meio de uma mãe chegamos até um grupo de voluntários do Fernão, da escola estadual Fernão Dias Paes, que é muito próxima da Lumiar", conta. Os alunos puderam acompanhar uma vídeo chamada com uma das responsáveis pelo projeto voluntário para entender a realidade das famílias e o que significa para elas receber uma cesta básica.

Antes da elaboração da campanha virtual, os alunos trabalharam os conceitos de matemática para a elaboração de metas.

Criada a campanha online, os pequenos estudantes ficaram responsáveis pela divulgação feitas nas redes sociais e até em cartazes colocados em praças. A ação realizada totalmente de maneira remota, ultrapassou a meta. "As crianças sugeriram usar o dinheiro excedente para a doação de álcool em gel, eles escreveram uma carta de agradecimento aos doadores e outra para as famílias."

A campanha acabou, mas a intenção de ajudar mais família ficou. "As crianças já se organizam em comitês e devem elaborar novas ações até porque o número de pessoas que precisa de ajuda dobrou."

Fonte: R7