Governo começa a contratar professores para retorno ao ano letivo de 2020 - Notícias EAD - Tenha um Moodle livre

Sidebar

14
Sex, Ago

Governo começa a contratar professores para retorno ao ano letivo de 2020

Notícias EAD

Governo começa a contratar professores para retorno ao ano letivo de 2020.

Mesmo após o governo do estado ter ingressado com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para não acatar uma lei da Assembleia Legislativa, que cria um auxílio de R$ 1,1 mil para professores interinos que estão fora da folha salarial desde o mês de março, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) está concluindo a contratação de professores para atuar no sistema on line de volta às aulas. No total, serão 3,5 mil professores para atuar em todo estado.

A expectativa é que esses profissionais sejam incluídos ainda na folha de julho, cujos salários serão pagos no dia 10 de agosto.

Esses profissionais, bem como os demais da rede estadual, já estão recebendo formação para trabalhar com os alunos durante as aulas não presenciais (online e Off-line), que iniciam na próxima segunda-feira (03).

A expectativa do governo, com essas contratações, é tentar amenizar a crise causada por conta do não pagamento dos professores interinos. Há reclamação de professores que estavam passando fome, devido a pandemia. Já a justificativa do governador era de que "eles mesmos eram os culpados, pois em 2019 entraram em greve e atrasam o calendário escolar de 2020, por isso estavam sem receber", comentou o governador.

A rede estadual conta com 759 unidades educacionais, que atendem cerca de 368 mil alunos, matriculados nos ensinos médio e fundamental.

Em 2020, a rede estadual ficou com dois calendários letivos. O primeiro calendário teve início no dia 10 de fevereiro e nessas escolas o processo de atribuição para contratação de professores foi realizado no início do ano.

Nas demais escolas, que são do segundo calendário e iniciariam o ano letivo em 23 de março, o processo de atribuição não havia sido realizado por conta da suspensão das aulas.

Conforme explica a secretária de Estado de Educação, Marioneide Kliemaschewsk, a Seduc não possuía amparo legal para a realização de contratação temporária de professores por ausência de fato gerador, que consiste no exercício imediato das atividades laborais em sala de aula.

“Agora, com o início das aulas em três de agosto, iniciamos o processo de contratação, pois já temos o fato gerador que são as aulas para serem ministradas pelo professor”, explica a secretária.

Formação

A Seduc está realizando a formação continuada para a implantação do Plano Pedagógico Estratégico de Volta às Aulas Online e Off-line. São cerca de 16 mil professores participando, tanto efetivos como contratados.

A formação é realizada pelos 15 Centros de Formação e Atualização dos Profissionais da Educação Básica (Cefapros) e ofertada em duas etapas, a primeira de 20 a 31 de julho e a segunda de 17 de agosto a 11 de setembro, totalizando uma carga horária de 60 horas.

A metodologia adotada é a perspectiva da aula invertida. O material de apoio está disponibilizado na plataforma Aprendizagem Conectada, no ícone “Orientações”, “Orientações aos Professores”, “Formação” e “Vídeos”.

Aulas não presenciais

As aulas não presenciais serão organizadas em cinco etapas: produção do material escolar, com a organização semanal de estudos e planejamento do professor; disponibilização do material escolar; atendimento ao estudante; intervenção pedagógica; e registro em tempo real no final do semestre.

Essas aulas serão disponibilizadas na plataforma digital Aprendizagem Conectada (online) e com materiais apostilados impressos (off-line). A Seduc também vai continuar ofertando as videoaulas pela TV Assembleia.

As aulas off-line preveem a entrega de apostilas para os alunos que não têm acesso à internet. Os professores também poderão trabalhar com os alunos via whatsapp, fazendo estudo dirigido.

Fonte: Olhar Direto