fbpx

Sidebar

15
Sáb, Maio

Covid-19: Escola de Miami recusa contratar professores que tenham sido vacinados

Notícias EAD

Uma escola particular de Miami, nos Estados Unidos, pediu aos seus professores e funcionários que não fossem vacinados contra a COVID-19, anunciando ainda que se recusaria a contratar quem o fizesse, avança o ‘El Mundo’.

Uma escola particular de Miami, nos Estados Unidos, pediu aos seus professores e funcionários que não fossem vacinados contra a COVID-19, anunciando ainda que se recusaria a contratar quem o fizesse, avança o ‘El Mundo’.

Segundo a mesma publicação, a Centner Academy, localizada no Downtown Miami Design District, alegou (falsamente) que os vacinados podem infetar aqueles que não o estão. A posição foi tornada pública numa carta assinada por Leila Centner, uma das suas fundadoras.

A circular, que foi divulgada pelo canal local CBS, indica que aqueles que não foram vacinados não devem receber a “injeção experimental de covid-19”. Sem citar fontes, a carta especula que “recentemente houve relatos de pessoas não vacinadas que foram afetadas negativamente pela interação com pessoas que vacinadas.”

A escola, que tem cerca de 300 alunos, pede a “qualquer funcionário” que não se vacine até ao final do ano letivo para a suposta proteção dos alunos.

A escola localizada no sul da Flórida, um estado no qual mais de 8,5 milhões de pessoas foram vacinadas , detalha que “é a nossa política” não empregar ninguém que tenha sido vacinado. E aponta sem fundamento científico que “dezenas de milhares” de mulheres no mundo apresentam problemas reprodutores por estarem próximas de uma pessoa vacinada.

Mais de 35 mil pessoas morreram desde o início da pandemia na Flórida, um estado que acumulou mais de 2,2 milhões de casos de covid-19 até segunda-feira, dos quais cerca de 480 mil foram registados em Miami-Dade, de acordo com o Departamento de Estado de Saúde.

Fonte: Executive Digest